Pura Kehen, uma chama que brilha desde o século IX

 

Conhecer o Tanah Lot foi incrível. Para quem é apaixonado pelo oceano e por lugares de beleza estonteante como eu, achar um templo construído dentro do mar foi uma alegria. Ainda não leu meu post sobre esse passeio? Depois dá uma olhadinha, você vai querer fazer as malas rapidinho.

 

 

Após viajar através dos principais pontos turísticos de Bali, costeando o mar na regência de Tabanan, chegou a hora de conhecer outra província, mais isolada e menos famosa, na parte central da ilha. A regência de Bangli, cujo nome significa “floresta vermelha” ou “montanha vermelha”, fica localizada próximo a cratera do vulcão ativo Gunung Batur. Para chegar lá, é preciso enfrentar uma longa subida, rodeada por muito verde. Pois é, a montanha vermelha na verdade é verde!

 

Antes de chegar ao trecho de subida que leva a Bangli, atravessei uma longa rodovia sentindo o cheirinho da maresia, observando belas praias de areia negra. Tais praias possuem essa característica na areia por conta da influência vulcânica. Dizem que esse tipo de ecossistema gera mais calor, mas eu não consegui sentir a diferença. Entre essas praias está Keramas, famosa por conta de receber uma das etapas do circuito mundial de surf.

 

 

 

Foi meio difícil chegar ao meu destino, pois meu GPS descarregou no meio do caminho. Após pedir informações com os moradores locais, consegui achar o lindo Pura Kehen. O templo fica localizado em uma colina. Estacionei minha bicicleta em uma ruazinha que ficava fechada ao trânsito e possui algumas lojinhas para turistas. Fui abordado por um senhor, muito simpático, que queria me mostrar o trabalho de sua família na produção de roupas balinesas. Aceitei o convite e fui conhecer seu espaço de vendas. Quando cheguei na loja do senhor balinês, fui apresentado a sua esposa, que estava trabalhando em algumas peças. A loja era simples mas tinha várias opções de roupas como camisas, vestidos, acessórios para vestimentas religiosas tradicionais e os tradicionais sarongues. Também havia várias opções de preços entre as peças. Fiquei maravilhado com a qualidade dos produtos e resolvi comprar um sarongue. Escolhi um vermelho bem bonito e também comprei uma faixa de seda dourada para poder prendê-lo na cintura. Agora não iria mais precisar ficar alugando sarongues toda vez que fosse visitar um templo. Uh huuuuu!!!!

 

 

 

Iniciei a visita ao maravilhoso Pura Kehen. Ele estava praticamente vazio quando cheguei. Um casal de turistas estava tirando as suas últimas fotos antes de partir. Fiquei no templo sozinho, quando o casal seguiu seu caminho. Na entrada do templo existe uma árvore gigante, muito bonita e imponente. O local é muito tranquilo e passa muita paz aos que visitam o local. Por ficar em uma colina, possui uma bela vista de um vilarejo repleto de árvores. A arquitetura do templo mantém a tradição de beleza das construções balinesas. Tirei algumas fotos, incluindo um instrumento musical muito diferente em forma de animal e uma foto da deusa da destruição, Xiva. Na saída do templo, parei em uma barraquinha para reabastecer a volta. Pedi uma água de coco e conversei um pouco com alguns moradores. Eles ficaram espantados quando souberam que eu tinha vindo de Jimbaran. Um pedal de 60km só para chegar. Perdi mais de 1700 calorias nessa viagem.

 

 

A volta para casa foi com muito sol e calor. Tive que ir parando no meio do caminho, para cuidar da hidratação bebendo alguns cocos. Em alguns locais em Bali, eles colocam umas folhinhas de hortelã dentro do coco. Fica uma maravilha! Cheguei em casa no meio da tarde bem cansado, mas repleto de boas lembranças. Mais uma viagem inesquecível finalizada.

 

Quer saber mais sobre viagens de bicicleta? Então deixa uma pergunta nesse post!

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo