Um pedal de bike e um templo de tirar o folego

O penúltimo templo da “Rota dos 9 templos” é o Pura Rambut Siwi, localizado na província de Jembrana. Quer saber como foram as viagens para os sete templos anteriores? Veja meus posts passados.

A minha primeira tentativa de chegar ao belo Pura Rambut Siwi não foi muito feliz. Após pedalar uns 30 ou 40 km, eu não me senti muito bem e resolvi cancelar a viagem, voltando para casa. Quando a gente vai pedalar longas distâncias, temos que estar em perfeitas condições. Sempre é bom lembrar que a viagem é composta de um pedal de ida e um pedal de volta, isso exige plenas condições de saúde. Estava um calor infernal e me desgastei muito nesses primeiros quilômetros. Não acordei muito cedo para o pedal e isso também contribuiu para a minha “quebra”.


Na minha segunda tentativa tudo foi muito bem, as coisas caminharam de maneira diferente. Sabe aqueles dias em que você acorda cheio de energia? Levantei bem cedo e iniciei meu passeio escutando o álbum “Off the wall”, do Michael Jackson. Tem música melhor para iniciar um superpedal do que “Don’t Stop 'Til You Get Enough”? Acho que não. Além disso, pedalar em Bali sempre “Rock With You” :)

Os primeiros quilômetros para o Pura Rambut Siwi foram através dos bairros mais turísticos de Bali. Depois de passar por Kuta e Canggu, eu peguei um caminho cheio de comunidades formadas por moradias bem tradicionais de Bali. Uma bela região, cheia de florestas e campos de arroz. O clima estava ótimo! Ainda tive a sorte de pegar uma chuvinha para refrescar, nada poderia ser melhor.


A rodovia principal que eu tive que pegar para chegar em Jembrana foi a Jalan Raya Denpasar – Gilimanuk. Essa estrada vai beirando o litoral de Bali, apresentando vários pontos incríveis para tirar aquela super self. Pude ver algumas praias com ondas gigantes, sem nenhum surfista. Não sei se são ondas surfáveis, pois havia notado que tinha um fundo de pedra, que é bastante recorrente naquela região. Talvez fosse o caso dessa praia que avistava, daí a falta de surfista.

A pedalada até o templo foi fácil devido a característica da rodovia Gilimanuk. Ela possui longas descidas, seguidas de subidas rápidas. Não é uma maravilha? Pegava um super embalo nas descidas e, com a velocidade que alcançava, fazia as subidas sem esforços. Acompanhei o fluxo dos carros por vários quilômetros. Por vezes, até ia mais rápido que os próprios carros, devido aos engarrafamentos.


O Pura Rambut Siwi é um templo bem bonito. Fica em uma parte elevada da praia de Jembrana, proporcionando uma vista maravilhosa do mar. Este templo não é tão frequentado como os outros que visitei. Na verdade, neste dia eu era o único visitante. Acendi um incenso de agradecimento por mais uma viagem incrível e pedi saúde para as pessoas queridas que deixei no Brasil. Enquanto estava acendendo o incenso, levei um grande susto. Um lagarto enorme passou nos arbustos que estavam próximos de mim. Quando me recuperei do susto, tentei tirar uma foto do “dinossauro”, mas a dura realidade é que ele fugiu :)

Um senhor que na época cuidava do templo me convidou para tomar um “kopi”. Ficamos conversando um pouco sobre o Brasil e a minha viagem. Comi umas barras de cereais e bebi uma garrafa de isotônico, na intenção de repor as energias para a volta. Tirei algumas fotos de lembrança e, após agradecer o café, segui viagem de retorno para casa.


Lembra que para chegar ao templo eu passei por uma rodovia que possuía longas descidas, seguidas de subidas rápidas? Pois é, mas essa situação ideal foi na ida. Na volta, o que era facilidade virou dificuldade. As descidas se tornaram curtas e as subidas se tornaram longas. Se pudéssemos somar as ladeiras, teríamos bem uns 50 ou 60 km de subida. Nem sei como cheguei em casa. Acho que foi aquele “es buah” que comi nos quilômetros finais, essa saladinha de frutas geladas me salvou.


Você já fez um passeio longo de bicicleta? Diga como foi nos comentários.

Posts Em Destaque
Posts em breve
Fique ligado...
Posts Recentes